quem somos
Surdos oralizados são beneficiados com Closed Caption voltar para notícias
Surdos oralizados são beneficiados com Closed Caption

O closed caption (legenda oculta nas emissoras de TV) é hoje um grande aliado dos surdos oralizados. Entretanto, a legislação brasileira ainda não obriga que toda a programação das emissoras ofereça tal recurso.

A Portaria número 310/2006, do Ministério das Comunicações, de acessibilidade, prevê neste ano que as emissoras de TV aberta disponibilizem closed caption durante 12 horas em sua programação, das 8 às 14 horas e das 20 às 2 horas. A implantação será gradativa até que todas as emissoras disponibilizem closed caption 24 horas por dia.

Enquanto isso, alguns grupos travam discussões sobre o assunto, como é o caso do SULP – Surdos Usuários da Língua Portuguesa (que abrange oralizados, bilingues, deficientes auditivos de graus mais leves a graves, e qualquer pessoa com deficit auditivo que seja fluente na língua portuguesa escrita) e os surdos usuários da Líbras, que muitas vezes não têm qualquer fluência na língua portuguesa. Este grupo briga pela legenda em todos os programas de televisão, cinema, em filmes nacionais e internacionais, bem como em peças teatrais.

Segundo a diretora da STNCaption, Maria Teresa Bucci, o closed caption já está sendo disponibilizado por algumas emissoras em quase sua totalidade da programação, como é o caso dos programas diurnos e noturnos.

“Tanto as emissoras, como as empresas estão se preparando para abarcar 24 horas da programação. O tempo é o nosso principal aliado para isso, já que para realizar esse serviço é necessário que o profissional domine o estenótipo (máquina que converte códigos grafados, acoplada a um software), tenha velocidade superior a 180 palavras por minuto e um excelente português”, explica.

Nos Estados Unidos têm cursos até em universidades, mas como é uma profissão relativamente nova aqui no Brasil, não existem cursos específicos. No caso da STN Caption, todos os profissionais são treinados na própria empresa e pela empresária, que é estenotipista há 25 anos.

Deixe seu comentário